08 de abril de 2016
  • compartilhar:

Ter atenção plena ao se alimentar poderia trazer benefícios para perda ou manutenção do peso?

É comum nos depararmos com pessoas comendo em frente à TV e videogames, com o celular na mão, lendo, quando não somos nós que estamos nessa situação. O mundo está conectado. Os aparelhos eletrônicos, as telas tomaram a nossa vida de tal forma que consideramos natural estar tempo todo acompanhando tudo. Não podemos parar nem ao menos para fazer uma refeição tranquilamente. Poucas vezes, vemos pessoas concentradas na alimentação. Pois há pesquisadores que estão estudando esse fenômeno como um dos responsáveis pelo aumento de peso. Outros estudam como uma mudança de comportamento e o foco total na alimentação poderiam surtir efeitos.

Um estudo piloto com 40 adolescentes em Richmond County, Georgia, mostrou que a formação da consciência na alimentação baseada em mindfulness (atenção plena) incentivou adolescentes a comer de forma mais saudável, e a se exercitar mais.

Segundo os autores, esta seria uma intervenção de baixo custo e que poderia surtir bons efeitos. "Se você pode fazer uma prática para manter a consciência em cada refeição, isso pode beneficiá-lo em toda a sua vida", dizem os autores do estudo publicado International Journal of Complementary & Alternative Medicine.

Nessa primeira fase do estudo, o intuito foi analisar o impacto da atenção plena em abordagens sobre a dieta, exercício e o ato de comer no comportamento dos adolescentes. Eles foram distribuídos aleatoriamente em um grupo controle, que só continuou com as aulas de saúde; e outro com 12 semanas de sessões de intervenção de atenção plena. 

A intervenção começou com técnicas mais fáceis, como a meditação baseada na consciência da respiração, onde os alunos se concentraram no movimento de seu diafragma como uma maneira de aprender a prestar mais atenção aos seus corpos. As 12 sessões também incluíram o uso de chocolate para aumentar a consciência sobre gosto, sabor e saciedade, explicando como as emoções podem provocar excessos, bem como o benefício do movimento consciente, incluindo o uso de pedômetros e meditação andando, podem ser benéficos.

A maior parte dos adolescentes estava acima do peso; a maioria tinha maus hábitos alimentares e eram de maioria negra. Cerca de 20% dos participantes de intervenção relataram que não estavam conscientes do fato de que eles comiam rápido demais ou que se sentiam desconfortáveis após as refeições. Quase 60% relataram um problema de compulsão alimentar, “que, infelizmente, a consciência de alimentação baseada em atenção plena, nesse período de intervenção, não reduziu", destacam os autores.

Os adolescentes no grupo de intervenção comeram melhor e se exercitaram mais. A atividade física moderada para os participantes aumentou 1,4 dias por semana, em comparação com o grupo de controle, que diminuiu a sua atividade durante o período de estudo em cerca de meio dia por semana.

Adolescentes do grupo de intervenção apresentaram ligeira tendência de queda no seu peso em comparação com seus pares que, também, na maior parte, tinham excesso de peso e continuaram a tendência ligeiramente ascendente.

Os participantes do grupo de intervenção ao final do estudo estavam consumindo uma dieta saudável – com menos gordura e calorias – e relataram diminuição da fome percebida. O mesmo efeito não foi verificado no grupo controle.

veja também

assine nossa newsletter

    nome
    e-mail
    Você aceita as diretrizes desta newsletter