30 de maio de 2021
  • compartilhar:

Imunização contra covid-19 em pessoas com obesidade

No dia 26 de maio, nós da Abeso, junto com a SBEM, encaminhamos um ofício ao Ministro da Saúde e, ainda, aos presidentes do CONASS e do CONASEMS, solicitando a vacinação imediata dos pacientes com obesidade grau 3, bem como a inclusão dos portadores de obesidade grau 2 no grupo de comorbidades prioritárias do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19.

O assunto, além de urgente, é da maior importância no combate à pandemia. Por isso, gostaríamos de compartilhar o conteúdo do ofício com todos, principalmente com aqueles que cuidam de pessoas com obesidade e, claro, com os próprios pacientes e seus familiares. 

No documento, apontamos a razão desse pedido, indicando as evidências científicas em que ele se baseia.

A seguir, para o conhecimento de todos, a reprodução do texto que seguiu para as autoridades.

Ao Excelentíssimo Senhor Ministro de Estado da Saúde, Dr.  Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes.

Ao Ilustríssimo Presidente do Conselho Nacional de Secretários da Saúde, Dr. Carlos Eduardo de Oliveira Lula.

Ao Ilustríssimo Presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, Dr. Wilames Freire Bezerra.

A obesidade é uma doença crônica que cursa com processo inflamatório contínuo, menor capacidade de resposta imune a infecções virais, maior risco de fenômenos tromboembólicos e doenças pulmonares, além de dificultar a assistência aos pacientes em quadros graves (como, por exemplo, dificuldade de acesso venoso, transporte, limitação de exames de tomografia e intubação orotraqueal prejudicada). Esses fatores fundamentam o risco mais elevado de quadro grave e morte por covid-19.

A obesidade aumenta o risco de desfechos negativos da covid-19já a partir do IMC de 30 kg/m² (grau 1), sendo esse risco ainda maior em pacientes com IMC ≥ 35 kg/m² (grau 2) e naqueles com IMC ≥ 40 kg/m² (grau 3). É fundamental mencionar que esses achados são observados sobretudo em jovens.

A obesidade é uma doença subdiagnosticada. Mesmo para aqueles com superobesidade (IMC ≥ 50 kg/m²), apenas 55% dos pacientes recebem o diagnóstico da doença.

As pessoas com obesidade são rotineiramente estigmatizadas em todos os setores da sociedade, sofrendo assédio moral no ambiente familiar e, lamentavelmente, também nos serviços de saúde. 

O preconceito com as pessoas que sofrem de obesidade tem se agravado na atual crise sanitária, quando esses pacientes estão sendo frequentemente humilhados por sua condição quando buscam receber a vacina contra covid-19. Além de não receberem tratamento específico para a obesidade no Sistema Único de Saúde, e, consequentemente, não possuírem laudo ou receita médica que comprovem a sua condição, têm sido negligenciados e envergonhados no momento da vacinação.

Diante do exposto, solicitamos:

  1. A recomendação imediata para que os pacientes com obesidade grau 3(IMC ≥ 40 kg/m²) tenham sua condição verificada de forma respeitosa nas próprias Unidades Básicas de Saúde.
  2. A priorização imediata da vacinação contra covid-19 para todas as pessoas, acima de 18 anos de idade, portadoras de obesidade grau 3.
  3. A inclusão de portadores de obesidade grau 2 (IMC ≥ 35 kg/m²) no grupo de comorbidades prioritárias do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a covid-19 do Ministério da Saúde.

Atenciosamente,

Cesar Luiz Boguszewski, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – SBEM

Cintia Cercato, presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica- Abeso

Maria Edna de Melo, presidente do Departamento de Obesidade da SBEM e diretora da Abeso.

Referências

assine nossa newsletter

    nome
    e-mail
    especialidade